Conto I JustiçA RuBra
Posted by
Posted in

Conto I JustiçA RuBra

JUSTIÇA RUBRA    Os cadáveres se multiplicam com as chuvas. Erguidos dos escombros, eles iniciam seu repugnante espetáculo aos corvos. Pois, não há outros que os percebam estirados pelas calçadas. Os humanos estão ocupados comemorando o fim da desigualdade social, da miséria humana. E, quando o espetáculo se encerra, não há choro nem rosas vermelhas […]

Conto I Mundo Real
Posted by
Posted in

Conto I Mundo Real

MUNDO REAL  Aqui há sempre turistas confusos, xeretando nas árvores. Pois, os narizes humanos enxergam o néctar das abelhas e os olhos apalpam a grama. Os sentidos se embaralham, o sol põe-se na madrugada. Logo, os conhecimentos práticos deles não possuem serventia aqui. Trata-se de um miúdo território, localizado no extremo oeste. Ele existe desde […]

CONTO I Alecrim Dourado
Posted by
Posted in

CONTO I Alecrim Dourado

ALECRIM DOURADO A disenteria e os mortos são multiplicados pela chuva incessante. Contudo, ninguém os percebe estirados nas calçadas.  Nenhum choro ou flor é derramado por eles. Pois, os humanos comemoram o fim da desigualdade social, da fome. Contemplo os jatos cortando nuvens pela vidraça, enquanto a enchente prossegue seu curso, trazendo consigo conterrâneos meus. […]

ContoI P R O G R E S S O
Posted by
Posted in

ContoI P R O G R E S S O

P R O G R E S S O    O plural me fascina. Não há insistência nele para que o três encaixe-se em seis. Ele engloba um turbilhão respeitando as plausíveis extravagâncias de cada átomo. Isto me inspira em nosso atual projeto, que de muito se correlaciona com nosso trabalho. Não somos remunerados ou […]

Conto I O começo de mim
Posted by
Posted in

Conto I O começo de mim

O começo de mim   Carrego o peso das estrelas em meu olhar. As abandonei por inúmeras noites, trocando-as pela companhia do silêncio. Porém, hoje elas me traíram, arrastando-me para este lugar. Aqui, sou turista do mundo.    O vento arrumou o cabelo fixado com spray, tornando-o sua obra prima. O balanço me convidou a regressar […]

Conto  I Querida √x = ♥
Posted by
Posted in

Conto I Querida √x = ♥

  Querida √x= ♥ Em um quarto verde-limão esperançoso cujo mesinha de centro é repleta de livros: Uma garota aconchegou-se ao seu cobertor para esquentar o corpo e, posteriormente sua mente. Ela reinventava cálculos com raízes quadradas -operações como √x= ♥, cujo “x” representa um sujeito em forma de algarismo que dificilmente é encontrado em um […]

A força do hábito I Conto
Posted by
Posted in

A força do hábito I Conto

A FORÇA DO HÁBITO Pizza. Antes aos gráficos e inúmeras contas matemáticas. Agora, nada. E o problema não é o instante em que ligo a palavra a algo. É o que faço, fujo das dívidas. Totalmente fora do equilibrado matemático. Nesse processo, conheci as Antilhas, desventurei-me no sol solitário do Oriente Médio. Em cada parada, as […]

♦Submergido – One shot (Original)
Posted by
Posted in

♦Submergido – One shot (Original)

Olá, leitores.  Então, não é bem uma one-shot, é mais um cordel que fiz para um trabalho e resolvi mostrar para vocês. ♥ Rafael Sanzio. Quem era ? (Breve resumo)  Ele era italiano, mestre da pintura e arquitetura da escola de Florença durante o renascimento italiano. Devido a morte de seu pai, ele se tornou em […]

Autonomia ♦ One- Shot
Posted by
Posted in

Autonomia ♦ One- Shot

♦ Gênero: Drama. ♦Notas: Escrito por mim, não retire nada sem a minha permissão. Espero que gostem ♥ Perdoem-me por todos os erros de português que possa ter, pois escrevi na pressa.  ♦Sinopse: Borboletas são legais não são? Coloridas e livres. Pessoas como Letícia desejam ser que nem elas. Mas, Letícia está completamente sozinha agora. Fazendo algo que muitos deveriam fazer: Pensar.  Autonomia […]