Conto I JustiçA RuBra
Posted by
Posted in

Conto I JustiçA RuBra

JUSTIÇA RUBRA    Os cadáveres se multiplicam com as chuvas. Erguidos dos escombros, eles iniciam seu repugnante espetáculo aos corvos. Pois, não há outros que os percebam estirados pelas calçadas. Os humanos estão ocupados comemorando o fim da desigualdade social, da miséria humana. E, quando o espetáculo se encerra, não há choro nem rosas vermelhas […]