CONTO I Alecrim Dourado
Posted by
Posted in

CONTO I Alecrim Dourado

ALECRIM DOURADO A disenteria e os mortos são multiplicados pela chuva incessante. Contudo, ninguém os percebe estirados nas calçadas.  Nenhum choro ou flor é derramado por eles. Pois, os humanos comemoram o fim da desigualdade social, da fome. Contemplo os jatos cortando nuvens pela vidraça, enquanto a enchente prossegue seu curso, trazendo consigo conterrâneos meus. […]