A SUA MARCA EM MIM:

    Contava à você as peripécias dos vilões, as ‘libertinagens’ dos heróis e as mortes daqueles que precisavam partir. Cada cena era narrada com a entonação apropriada. Balancei inúmeras vezes os seus sentimentos: Você ria de mim e ficava brava. Porém, mesmo me abandonando por horas na sua prateleira repleta de pó, você voltava por ser fissurada em mim. O tempo que passamos juntos será esquecido por você quando surgir rugas na sua pele e as suas mãos perderem a firmeza. Porém, ele está marcado em mim naquela gota de café e na flor horrorosa ressecada que tingiram minhas páginas. Isto é um adeus. Agora, as minhas singularidades e clichês vão encantar à outras e minhas páginas serão marcadas por elas, assim como você as marcou.