Talvez 

Sempre possuí um borrão. A versão distorcida de uma garota. Me acostumei a vislumbra-lá todas as noites, encarando o céu e sentando na areia. A nossa relação era preenchida por “nãos” : Não podia entender a complexidade de seu olhar, ou por que sempre me trazia lágrimas. Porém, havia poucos momentos em que ela atravessava-me até os joelhos e começava a falar. Nesses momentos, a urgência em sua voz fazia com que minhas ondas se acalmassem. 

Por estes motivos, é difícil lidar com esse momento. A estou segurando enquanto um humano clama por ela. É egoísta não querer lidar com meu coração partido. Talvez ela volte para ele, assim como as outras. Ou, quem sabe a guarde para mim… De todo modo terei que lidar com a perda. Afinal, ela não seria a primeira a me abandonar. 

Sou o mar, afinal de contas. A ironia dos corações partidos me assombra. Eles vêm até mim para cura e não consigo resistir ao impulso de apaixonar-me por eles. tumblr_nkjmxrpGR11tzbqdco1_500